AVOLVER
Uma residência de Carlos Dias

 

O projeto AMOS e a Galeria Península, com apoio especial do Atelier da Casa9, tem o prazer de apresentar a sua primeira residência artística.
Com abertura marcada para o dia 15 de Novembro de 2014, AVÖLVER - que conta com a curadoria de Guilherme Thiesen Netto - é o resultado da pesquisa que o gaúcho radicado em Florianópolis, Carlos Dias (também conhecido como ASA – Ao Seu Alcance), vêm desenvolvendo ao longo deste ano, multiplicado à vivência e criação de novas obras durante o período em que o artista estiver ocupando o ateliê, situado no bairro Rio Branco. 

 

Assim como a simbiose criativa de Carlos, o nascimento desta nova plataforma de residência artística, reflete a natureza de todas as almas envolvidas neste processo. Construída de forma coletiva, a amostra é a primeira oportunidade de presenciar uma exposição solo do artista na cidade e participar de diversos eventos anexos ao espaço expositivo (oficinas, cinema e apresentações musicais), que serão divulgados ao longo dos próximos dias. 

Expressamos a nossa mais profunda alegria por cada partícula envolvida nesta construção enriquecedora e convidamos todos a participarem desta rede de interação artística e completamente independente. 

 

Pois Eu Estou Em Sua Memória
Exposição de André Venzon
 

 

O artista visual André Venzon inaugura no próximo sábado, 11 de outubro, às 19h, a primeira exposição individual da nova Galeria Península (Rua dos Andradas, 351), no Centro Histórico de Porto Alegre.


Você tem os lugares da cidade em sua memória? Os lugares péssimos? E os lugares bons? POIS EU ESTOU EM SUA MEMÓRIA, apresenta obras de diferentes séries do artista visual André Venzon (Porto Alegre, 1976), que comemora 15 anos de uma produção artística sempre em busca da percepção da paisagem urbana como meio de expressão.

Os lugares de referência do artista são revestidos por tapumes, madeira compensada de cor magenta que cobre aquilo que está em metamorfose na cidade para se apresentar de outra forma. Desde seus primeiros trabalhos com maquetes arquitetônicas ─ construções temporárias de tapumes ─ passando pelas fotografias dos próprios tapumes e pelos anti-retratos da série ‘Cidade Sem Face’, até os atuais reobjetos ─ porcelanas (bibelôs e pratos) e tapeçarias apropriados para intervenções, respectivamente, com adesivos e bordados sobre a cabeça das figuras, constituem o percurso de um olhar artístico que questiona ideias sociais e culturais da época destes lugares, pessoas e objetos, resgatando novos prazeres estéticos e sensações em relação à percepção de nós mesmos diante da memória destas imagens que se tornaram obras.

A exposição reúne trabalhos em fotografia, assemblagens, objetos e instalações com texto de apresentação do curador paulista Gilberto Habib de Oliveira.

Sob o peso das coisas
Exposição de Luciano Scherer e Maíra Flores

 

O ato de carregar e guardar objetos pertence ao plano da vida comum. Quando esses fragmentos são deslocados de seu espaço de origem e reapresentados, eles passam por um processo de ressignificação, um trânsito entre o peso da coisa em si e aquele que lhe é atribuído pelo seu significado. Nesse momento, tornam-se parte de uma construção que possui uma nova medida.

O seu acúmulo, sejam eles provenientes de uma memória pessoal ou coletiva, não os despersonaliza, e sim reforça seu conteúdo de presença e semelhança; são estruturados como um armazém de memórias, uma vontade de permanência frente à ruína. Os fios de cabelo que são esquecidos na fronha quando dormimos, a barra já desgastada do lençol, o minucioso recorte de mementos dispostos de forma taxológica dentro de caixas, objetos que procuram resgatar o valor afetivo e a experiência da passagem do tempo, mostrando que a arte pode manter-se íntima da vida.  

O peso é uma medida, uma qualificação dos objetos ou das recordações que carregam; agrupados, revelam outro tamanho, tornam-se desmedidos, desprovidos de lugar definido. Numa relação ambígua, nos encontramos sob o peso das coisas que optamos carregar, somos confrontados com elementos que não fazem nem mais parte do privado, nem são somente representações do coletivo, são provenientes do real e do ficcional. Quando apropriados pelos artistas, esses guardados cotidianos assumem outro valor, àquele que está no limiar do comum e do simbólico e que, ao serem expostos, permitem que cada um se depare sob o seu próprio peso das coisas.  

Por Sofia Inda 

O Porto e a Península

Exposição artistas portugueses e brasileiros


A exposição O Porto e a Peninsula propõe uma aproximação entre Lisboa e Porto Alegre por meio da arte. A Incubadora de Artistas desde o seu surgimento em 2012 aproxima artistas internacionais por intermédio de uma plataforma curatorial online: http://incubadoradeartistas.com/. Uma selecção de jovens artistas visuais composta de seis portugueses e uma brasileira será levada da sua Península Ibérica para um porto, a cidade de Porto Alegre. 
O alargamento de fronteiras culturais, algo tradicional para os portugueses desde os descobrimentos ultramarinos, será revisitado pela Incubadora de Artistas que como uma corte manuelina do século XV, atravessa o oceano levando consigo um pouco do que a arte emergente portuguesa produz em desenho, pintura e fotografia.
A galeria Península carrega no nome a região de partida destes artistas e ao mesmo tempo será o seu porto expositivo. Simbolicamente um porto e uma península sempre serão lugares de passagem, partida e chegada.
Artistas: Daniel Moreira, Mariana David, Pedro Pascoinho, Rafaela Nunes, Rafaela Rodrigues, Rui Dias Monteiro e Tânia Diniz.
Curadoria Letícia de Melo
 

 

 

 

   

Voadores

Exposição de MZK

de 25 de julho a 1 de agosto 

 

Exposição em parceria com a Parada Gráfica e o Museu do Trabalho.
 

COLETIVA DOIS
 

Artistas: André Venzon, Andressa Cantergiani, Arthur Kolbetz, Biel Gomes, Carina Sehn, Carla Barth, Chico Baldini, Denis Rodriguez, Eduardo Taborda, Jorge Loureiro, Luciano Scherer,

Nina Moraes e Rochele Zandavalli.

COLETIVA UM

 

Artistas: André Venzon,

Andressa Cantergiani, Biel Gomes,

Carina Sehn, Denis Rodriguez, Rochelle Zandavalli,

Luciano Scherer e Carla Barth.