SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE ARTE CONTEMPORÂNEA E CIRCUITOS CULTURAIS

Curatoria Forense em Porto Alegre

 


Baseado na idéia de circuitos locais, o seminário pretende indagar quais são as condições mínimas de produção de obras na América Latina. E como as relações, os acordos, as diferenças entre as pessoas dentro de um sistema de arte habilitam, permitem ou dificultam as possibilidades de trabalho de uma cena cultural. 

Dirigido a artistas, investigadores, historiadores de arte, docentes e outros agentes culturais. 

* coordenado pelo chileno Jorge Sepúlveda T. (curador e crítico de arte) e pela argentina Guillermina Bustos (artista e pesquisadora independente).

Investimento: R$ 100,00
Inscrições através do email: galeriapeninsula@gmail.com
ou do fone: 51.34142286 

+ info, acesse http://curatoriaforense.net/_seminarios

 

** LEITURA DE PORTFÓLIOS ** SEGUNDA 18 DE ABRIL
E na segunda, 18 DE ABRIL, acontece a leitura de portfolios com o curador Jorge Sepúlveda T e a pesquisadora Guillermina Bustos. VAGAS LIMITADAS, horário das 14h às 18h. Encontros individuais de 45 minutos. Investimento: R$ 100. Inscrições através do email: galeriapeninsula@gmail.com ou do fone: 51. 34142286

DA ARTE ANTES DO NOME ARTE

Grupo de estudos coordenado por Gabriela Motta*

 

Período: de 16 de maio a 12 de setembro de 2016

Dia da semana: sempre às segundas-feiras

Horário: das 19h às 22h

10 vagas

Público alvo: artistas, estudantes de arte, alunos de graduação, interessados em discussões envolvendo a produção simbólica de culturas antigas.

 

Investimento:  3 X R$ 350,00 ou à vista R$ 950,00

 

INSCRIÇÕES

através do e-mail: galeriapeninsula@gmail.com

ou dos fones:  +51 34142286, +51 81599769 e +51 98004880

 

 

O grupo de estudos DA ARTE ANTES DO NOME ARTE irá estudar três livros fundamentais do campo da antropologia, nos quais se discute a produção simbólica de grupos sociais antigos. A partir do exercício de leitura coletiva de autores voltados ao estudo de diferentes povos, a proposta do grupo é contribuir para uma reflexão crítica sobre a noção de arte desenvolvida na cultura ocidental moderna.

 

As obras que serão estudadas:

- Metafísicas Canibais (Elementos para uma antropologia pós estrutural), de Eduardo Viveiros de Castro. Cosacnaify, 2015.

- A Invenção da Cultura, de Roy Wagner. Cosacnaify, 2012. (publicado pela primeira vez em 1975).

- O Pensamento Selvagem, de Claude Lévi-Strauss. Papirus, 1989. (Publicado pela primeira vez em 1968).

 

É importante que todos inscritos tenham em mãos os capítulos dos livros que serão estudados coletivamente.

 

 

CRONOGRAMA DETALHADO:

 

16/05

19h às 22h

Apresentação do primeiro autor do programa, Roy Wagner

Inicio da leitura compartilhada – Livro: A invenção da Cultura

Introdução

I. A presunção da cultura

 

23/05

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: A invenção da Cultura

II. A cultura como criatividade

III. O poder da invenção

 

30/05

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: A invenção da Cultura

II. A cultura como criatividade

III. O poder da invenção

 

06/06
19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: A invenção da Cultura

IV. A invenção do eu

V. A invenção da sociedade

 

13/06

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: A invenção da Cultura

VI. A invenção da antropologia

Post Scriptum (2010)

 

20/06

19h às 22h

Apresentação do segundo autor do programa, Claude Lévi-Strauss

Inicio da leitura compartilhada – Livro: O Pensamento Selvagem

I. A ciência do concreto

II. A lógica das classificações totêmicas

 

27/06

19h às 22h

 Leitura compartilhada – Livro: O Pensamento Selvagem

VIII. O tempo recuperado

XI. História e dialética

 

O grupo de estudos não acontecerá em julho.

 

01/08

19h às 22h

Apresentação do terceiro autor do programa, Eduardo Viveiros de Castro, e do programa do grupo de estudos;

Início da leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Primeira Parte O ANTI-NARCISO

Capítulo 1 Uma notável reviravolta

Capítulo 2 Perspectivismo

 

08/08

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Primeira Parte O ANTI-NARCISO

Capítulo 3 Multinaturalismo

Capítulo 4 Imagens do Pensamento Selvagem

 

15/08

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Segunda Parte CAPITALISMO E ESQUIZOFRENIA DE UM PONTO DE VISTA ANTROPOLÓGICO

Capítulo 5 Um curioso entrecruzamento

Capítulo 6 Uma antissociologia das multiplicidades

Capítulo 7 Tudo é produção: a filiação intensiva

 

22/08

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Terceira Parte CONTRA AS FILIAÇÕES CELESTIAIS: A ALIANÇA DEMONÍACA

Capítulo 8 Metafísca da predação

Capítulo 9 Xamanismo transversal

 

29/08

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Terceira Parte CONTRA AS FILIAÇÕES CELESTIAIS: A ALIANÇA DEMONÍACA

Capítulo 10 A produção não é tudo: os devires

Capítulo 11 As condições intensivas do sistema

 

05/09

19h às 22h

Leitura compartilhada – Livro: Metafíscas Canibais

Quarta Parte O COGITO CANIBAL

Capítulo 12 O inimigo no conceito

Capítulo 13 Devires do estruturalismo

 

 

*   Gabriela Motta (Pelotas/RS, 1975)

É pesquisadora em artes visuais e curadoria. Doutora em artes visuais pela USP/SP.

Já realizou projetos de curadoria e pesquisa em instituições como Itaú Cultural,

MAC Niterói, MAC USP, Fundação Iberê Camargo, entre outras. 

 

 

 

 

 

 

 Oficina RUAS, AVENIDAS E RIOS: ARTE AGORA!

de Maria Helena Bernardes

 

12 SET, das 15h às 18h

carga horária: 3h. 10 vagas.

investimento: R$ 120,00

 

 

O encontro apresenta para o debate um recorte da produção contemporânea que aciona a presença da arte no fluxo vivo da cidade, repensando o viver na urbe do século 21. A ideia é visitar uma constelação de obras contemporâneas que entram em diálogo com as proposições de “Água Viva”, exposição que Denis Rodriguez apresenta na Galeria Península. Também serão comentadas teorias como a Estética da Emergência (Reynaldo Laddaga) e de uma ecologia de saberes (Boaventura dos Santos), que localizam a ação cultural em uma encruzilhada de saberes e práticas a partir de onde se desenham novas formas de vida.

 

*Maria Helena Bernardes é formada em Artes Plásticas pela UFRGS e atua como artista, pesquisadora e professora independente. Ao lado de André Severo, é coautora do Projeto Areal, por meio do qual publicou os livros: “Vaga em Campo de Rejeito”. (Documento Areal 02. São Paulo: Escrituras, 2003); “História de Península e Praia Grande/Arranco” (com André Severo, Documento Areal 07. Porto Alegre: Fundação Bienal do Mercosul, 2009). “Dilúvio” (com André Severo, Documento Areal 10. Belo Horizonte: Ja.Ca, 2010). “A Estrada que não Sabe de Nada” (com Ana Flávia Baldisserotto, Documento Areal 11.Rio de Janeiro: Confraria do Vento) e “Ensaio” (com André Severo, Documento Areal 12. São Paulo: Panorama da Arte Brasileira, 2011).

 

 

 Oficina CONTÉM ÁGUA

de Nathalia Cantergiani

 

27 AGO palestra gratuita com a arquiteta e o artista Dens Rodriguez `as 17h

28 AGO, das 17h às 19h

29 AGO, das 15h às 18h

carga horária: 7h. 10 vagas.

investimento: R$ 100,00 (50% de desconto estudantes)

 

 

O ponto de partida da oficina é a exposição Água Viva, do artista Denis Rodriguez, que alimenta o debate sobre o espaço público no Centro Histórico de Porto Alegre através de inúmeros elementos que reavivam a memória urbana e hídrica da cidade.

 

A ideia é debater, questionar, imaginar e sobrepor as diferentes camadas, materiais e imateriais, que podem dar um novo sentido à vida urbana com a transformação do espaço público.

 

O objetivo desta oficina é desenvolver propostas e ideias que costurem os projetos de piscina pública da exposição Água Viva. Criar novas piscinas a partir destas propostas ou experimentar a simbiose dos projetos expostos são possíveis desdobramentos desta oficina.

 

Três projetos de arquitetura integram a mostra, com diferentes propostas de piscina pública para a área da Marina do Centro. Cada um dos arquitetos convidados pelo artista trabalhou em cima de conceitos de implantação e uso distintos. Cada piscina depende de uma escala de intervenção urbana específica, provocando a

imaginação dos visitantes com novas realidades possíveis para esta micro-região.

 

Poderiam estes projetos conviver simultaneamente?

 

 

* Nathalia Cantergiani é mestre em Arquitetura pela UFRGS. Natural de Caxias do Sul, foi sócia do escritório Espaço Sideral (www.espacosideral.com.br) – período em que conquistou alguns prêmios e participou de duas Bienais Internacionais de Arquitetura de São Paulo. Após um breve intercâmbio na Alemanha em 2002 deu início à uma série de viagens de estudos que influenciaram os seus projetos, como a participação no Forum Mundial de Jovens Arquitetos na Martinica, em 2007. Sócia fundadora do escritório cantergiani+kunze - Arquitetos, atua como docente dos cursos de Design de Interiores e Arquitetura e Urbanismo do IPA, em Porto Alegre.

 

 

 Oficina PROCURA-SE PAISAGEM

de Germana Konrath

 

 

22 AGO, das 14h às 19h

carga horária: 7h.

atividade gratuita através de inscrição

 

 

 

Apresentação do cais do porto do ponto de vista da evolução urbana de Porto Alegre. Debate de questões relacionadas ao muro da Mauá e à situação atual de bloqueio da paisagem e falta de contato com o Guaíba. Proposta de construção coletiva de escadas de marinheiro, com cordas e sarrafos de madeira, e sua instalação em locais estratégicos ao longo domuro, possibilitando a escalada simbólica do mesmo. As escadas, instaladas pelos participantes da oficina, serão deixadas no local como registro da ação, estímulo a novas interações e convite à população para desfrutar de um novo ponto de vista dessa borda da paisagem urbana.

 

 

*Germana Konrath é arquiteta e urbanista de formação, atualmente é gestora cultural da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre. Mestranda em Planejamento Urbano pelo PROPUR – UFRGS, desenvolve pesquisa sobre utopias através do urbanismo e da arte contemporânea. Desde 2003 atua no campo das artes visuais, sendo sua principal área de interesse a intersecção entre urbanismo, arte e arquitetura. Imagem: Leandro Selister, intervenção urbana Por Trás do Muro.